M  A  D  E  P

20220406_182705 (1)_edited.jpg

LINHAS DA MÃO
fotografia, exploração do território, Porto,  2022

Linhas da mão busca retratar o cotidiano e o território a partir da fotografia, ampliação e recorte. O fio que conduz o projeto surge de um trecho do livro As cidades Invisíveis, de Italo Calvino:


"A cidade se embebe como uma esponja dessa onda que reflui das recordações e se dilata. Uma descrição de Zaíra como é atualmente deveria conter todo o passado de Zaíra. Mas a cidade não conta o seu passado, ela o contém como as linhas da mão, escrito nos ângulos das ruas, nas grades das janelas, nos corrimãos das escadas, nas antenas dos para-raios, nos mastros das bandeiras, cada segmento riscado por arranhões, serradelas, entalhes, esfoladuras."

A partir da ilustração da mão, como uma janela para a cidade, pretende-se ampliar o olhar para a materialidade, para o cotidiano e para os aspectos que conferem ao lugar sua identidade.